Agências de viagens de negócios ganham peso com a covid-19


As agências de viagens de negócios são mais importantes para os gestores de viagens em época de covid-19.

De acordo com um inquérito online realizado pela GBTA (Global Business Travel Association) a 16.327 gestores de viagens e fornecedores de viagens em todo o mundo no início do quarto trimestre de 2020, o surgimento da pandemia realçou a importância de as viagens corporativas serem geridas através de uma agência de viagens de negócios. 48% dos gestores de viagens consultados, que têm um perfil sénior na sua empresa, dizem que valorizam ter o serviço de uma agência na gestão do seu programa de viagens, mais do que antes da pandemia. Além disso, 51% afirmam que outras partes envolvidas nas viagens corporativas da sua empresa experimentaram a mesma mudança na sua avaliação.

Agências de Viagens de Negócios: Mais Gestão de Viagens Nacionais

A maioria das 1.383 empresas inquiridas estima que irão retomar as viagens empresariais num futuro próximo, mas não têm uma data definida.

34% das empresas inquiridas esperam retomar as viagens nacionais em 2-3 meses, 41% em 6-8 meses e 9% em 12 meses ou mais. No entanto, espera-se que as viagens internacionais se realizem em 6-8 meses em 44% dos casos e 23% em 12 meses ou mais.

As viagens de negócios nacionais e, sobretudo, internacionais foram reduzidas ao mínimo:

  • 95% das empresas cancelaram ou suspenderam a maioria (22%) ou todas (73%) as viagens à China.
  • 92% das empresas cancelaram ou suspenderam a maioria (29%) ou todas (63%) as viagens à América Latina.
  • 87% das empresas cancelaram ou suspenderam a maioria (32%) ou todas (55%) as viagens ao Canadá.
  • 92% das empresas cancelaram ou suspenderam a maioria (39%) ou a totalidade (53%) das viagens internacionais.
  • 95% das empresas cancelaram ou suspenderam a maioria (27%) ou todas (68%) das suas viagens a outros países da APAC (por exemplo, Japão, Coreia do Sul, Singapura, Malásia).
  • 88% das empresas cancelaram ou suspenderam a maior parte (34%) ou todas (54%) as viagens a países europeus.
  • 81% das empresas cancelaram ou suspenderam a maioria (42%) ou todas (38%) as viagens para os Estados Unidos.
  • 70% das empresas cancelaram ou suspenderam a maioria (46%) ou todas (24%) as viagens nacionais dentro do seu próprio país.

Menos viagens, mas mais trabalho

No entanto, reduzir as viagens corporativas não significa reduzir a carga de trabalho. A carga de trabalho dos gestores de viagens permaneceu a mesma de antes do início da pandemia, ou até aumentou.

Embora as viagens de negócios tenham diminuído na maioria dos casos, 28% dos gestores de viagens de negócios dizem estar tão ocupados como antes do início da pandemia, e 31% dizem mesmo que têm mais trabalho.

Quando é que as viagens de negócios vão voltar?

Relativamente à reativação das viagens de negócios, os gestores de viagens consultados pelo GBTA são optimistas: 47% pensam que as reuniões presenciais serão novamente realizadas nas suas empresas antes de Maio de 2021, o que implica a necessidade de ter uma agência de viagens de negócios para gerir as viagens de negócios.

Neste sentido, os profissionais consultados esperam que as viagens empresariais recuperem totalmente dentro de 3 anos. Com uma vacina eficaz ou medidas de saúde pública eficientes, 48% dos gestores de viagens consultados esperam que o volume de viagens da sua empresa regresse aos níveis anteriores à crise Covid até 2023.

Face a tanta incerteza, existe uma clara necessidade de um programa de viagens dinâmico no qual o assessoramento de uma equipa especializada em viagens de negócios oferece a ajuda de que os gestores de viagens necessitam para adaptar as viagens de negócios das suas empresas para responder a uma realidade em constante mudança. A chave é implementar o smart business travel na estratégia empresarial. Se tiver alguma dúvida sobre o assunto, não hesite em consultar a sua equipa habitual de especialistas na Barceló Viagens.